Páginas

terça-feira, 15 de setembro de 2009

SETEMBRO 2009 - Mês da Bíblia

Há 38 anos a Igreja do Brasil celebra no mês de setembro o Mês da Bíblia. A celebração teve sua origem na arquidiocese de Belo Horizonte, em 1971, e foi se espalhando para todo o Brasil.
O objetivo do mês da Biblia, segundo a assessora da Comissão Bíblico-Catequético da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), é infundir no povo a convicção de que a Palavra de Deus é, por excelência, o livro que deve ser inserido na vida de cada pessoa. Fazer com que as famílias sintam necessidade de ter uma Bíblia em casa e incentivar a reunião das comunidades para o estudo e a vivência da Palavra de Deus.

Para este ano o livro proposto é a Carta de São Paulo ao Filipenses, cujo tema é “Alegria de servir no amor e na gratuidade” e o lema: “Tende em vós os mesmos sentimentos de Cristo Jesus” (Fl 2,5).



Histórico do Mês da Bíblia

1971: A celebração do Mês da Bíblia, na Arquidiocese de Belo Horizonte por sugestão e coordenação das Irmãs Paulinas, Pe. Antonio Gonçalves e outros.


1976: As Irmãs Paulinas visitaram 30 dioceses de Minas Gerais e Espírito Santo propondo o Mês da Bíblia como opção de evangelização, em continuidade à Campanha da Fraternidade.


1978: O Mês da Bíblia se estendeu, oficialmente, ao Regional Leste 2 da CNBB, Minas Gerais e Espírito Santo, e a muitas outras dioceses do Brasil.


1985: O Mês da Bíblia passou a ser animado pelo Serviço de Animação Bíblica - SAB e se estendeu a todo o Brasil. Com a participação na Federação Bíblica Católica, o Mês da Bíblia, se estendeu a outros países da América Latina.


1997: Com o projeto Rumo ao Novo Milênio (RNM), o tema do mês da Bíblia estendeu-se ao ano todo.


2001 - 2003: Prosseguiu com o Projeto Ser Igreja no Novo Milênio.


2004 - 2007: Prosseguiu com o Projeto Queremos ver Jesus.




4. Temas do Mês da Bíblia de 1971 a 2009


01) 1971 Bíblia, Jesus Cristo está aqui


02) 1972 Deus acredita em você


03) 1973 Deus continua acreditando em você


04) 1974 Bíblia, muito mais nova do que você pensa


05) 1975 Bíblia, palavra nossa de cada dia


06) 1976 Bíblia. Deus caminhando com a gente


07) 1977 Com a Bíblia em nosso lar, nossa vida vai mudar


08) 1978 Como encontrar justiça e paz? O livro de Amós


09) 1979 Bíblia, o livro da criação - Gn 1-11


10) 1980 Buscamos uma nova terra - História de José do Egito


11) 1981 Que todos tenham vida! - Carta aberta de Tiago


12) 1982 Que sabedoria é esta? - As Parábolas


13) 1983 Esperança de um povo que luta - O apocalipse de São João


14) 1984 O caminho pela Palavra - Os atos dos Apóstolos


15) 1985 Rute, uma história da Bíblia - Pão, família e terra, o Livro de Rute


16) 1986 Bíblia, livro da Aliança - Êxodo 19-24


17) 1987 Homem de Deus, homem do povo - profeta Elias


18) 1988 Salmos, a oração do povo que luta - O livro dos Salmos


19) 1989 Jesus: palavra e pão - Evangelho de João, cap 6


20) 1990 Mulheres celebrando a libertação


21) 1991 Paulo, trabalhador e evangelizador - Vida e viagens de Paulo 22) 1992 Jeremias, profeta desde jovem - Livro de Jeremias


23) 1993 A força do povo peregrino sem lar, sem terra - 1ª Carta de Pedro


24) 1994 Cântico: uma poesia de amor


25) 1995 Com Jesus na contramão - o Evangelho de Marcos


26) 1996 Jó, o povo sofredor - Livro de Jó


27) 1997 Curso Bíblico Popular - Evangelho de Marcos


28) 1998 Curso Bíblico Popular - Evangelho de Lucas


29) 1999 Curso Bíblico Popular - Evangelho de Mateus


30) 2000 Curso Bíblico Evangelho segundo João: luz para as Comunidades


31) 2001 Curso Bíblico Atos dos Apóstolos, capítulos de 1 a 15


32) 2002 Curso Bíblico Atos dos Apóstolos, capítulos 16 a 28


33) 2003 Curso Bíblico Popular - Cartas de Pedro


34) 2004 Curso Bíblico Popular - Oséias e Mateus


35) 2005 Curso Bíblico Popular - Uma releitura do II e III Isaías, a partir de Jesus


36) 2006 Come teu pão com alegria - Eclesiastes


37) 2007 Deus viu tudo o que tinha feito: e era muito bom - Gênesis
38) 2008 A Caridade sustenta a Comunidade - Primeira Carta aos Coríntios
39) 2009 A alegria de servir no amor e na gratuidade - Carta aos Filipenses


Deus seja louvado através do MÊS DA BÍBLIA que se empenha em tornar conhecida, amada e vivida a sua Palavra.
Confira o tema deste ano de 2009
“Carta do Coração” é o título do subsídio preparado pelo grupo Shemá, do Serviço de Animação Bíblica, para o mês da Bíblia de 2009. Ele apresenta um estudo e círculos bíblicos sobre a carta de São Paulo aos Filipenses. A comunidade de Filipos, segundo o livro de Atos dos Apóstolos, era formada inicialmente por mulheres. Lídia era a líder do grupo, e com elas iniciou a comunidade cristã em Filipos. Entre Paulo e esta comunidade criaram-se laços profundos de confiança, de colaboração e até mesmo de ajuda material aos missionários, sobretudo, Paulo quando esteve preso. Era a única comunidade da qual ele aceitava ajuda para o seu sustento.

Motivo da escolha da carta aos Filipenses
Em junho de 2009 foi concluído, a celebração do ano Paulino, para aprofundar os escritos de Paulo foi escolhida a carta aos Filipenses. Filipos na época era uma grande cidade de cultura grega situada na Macedônia (hoje uma região da Grécia), no continente europeu, às margens de um pequeno rio. Por ela passava uma importante estrada internacional, a Via Ignatia, que ligava a Grécia à Itália. Segundo os Atos, tinha status de colônia romana e por isso seus habitantes gozavam de alguns privilégios do Império Romano, como o de não pagar tributos. Segundo Comblin, viviam aí muitos soldados veteranos do exército romano, que receberam do Império terras para cultivarem. Mas a comunidade cristã era relativamente pobre, embora muito generosa.[1]

Por que escrever uma carta para a Comunidade de Filipos? Na verdade, Paulo está respondendo a um desejo da Comunidade. A notícia de que seu amado fundador estava preso certamente deixara preocupados os irmãos e irmãs. Estes teriam enviado Epafrodito não só para levar recursos materiais ao “prisioneiro de Cristo” (cf. 1,14; 2,25; 4,18), como também para confortá-lo com notícias da Comunidade e, ao mesmo tempo, ao seu retorno saber notícias pessoais do apóstolo. Essa relação bem pessoal, íntima, solidária e amorosa dos irmãos e companheiros de Paulo só podia gerar uma resposta repleta de carinho e gratidão, uma carta do coração.

Os assuntos
Paulo escreve sobretudo para agradecer aos filipenses pela atenção a ele dispensada, enviando-lhe auxílios por meio de Epafrodito. Mas agradece também por tudo que eles fizeram por ele, desde os inícios até àquele momento (1,5). Por fim agradece a Deus por essa solidariedade, sinal inconfundível da fé que se traduz no amor para com todos. Então Paulo se derrama em declarações de amor pela Comunidade.

Escreve também para dar notícias suas e tranqüilizar a Comunidade preocupada com ele. Considera que sua prisão não atrapalhou, antes até contribuiu para o anúncio do evangelho (cf. 1,12-14). Fala de como ele está vivendo essa experiência, descobrindo a alegria de identificar-se com o Cristo humilhado (1,19-21). Conforta-os com a expectativa de visitá-los pessoalmente em breve (1,26-27).

Nas exortações, Paulo aproveita para prevenir os filipenses contra os falsos mestres. Aí ele deixa a delicadeza de lado e “rasga o verbo”: “Cuidado com esses cachorros! Charlatães! Mutilados!” (referência pra lá de irreverente à circuncisão!). Não há dúvida que se trata de pregadores “que pretendem reintroduzir entre os cristãos elementos do judaísmo, que Paulo considera superados”[2]. São chamados hoje de “os judaizantes”.

Estrutura da carta aos Filipenses


A estrutura da carta aos Filipenses é muito simples de fácil compreensão. A ler a carta seguindo a divisão abaixo, vai lhe oferecer as chaves de leitura da mesma.

1,1-11 - Saudação inicial, Ação de graças
1,12-26 - Notícias de Paulo: efeitos positivos da prisão
1,27-2,18 - Exortação à Comunidade (hino cristológico: 2,5-11)
2,19-3,1 - Projeto para Timóteo e Epafrodito
3,2-4,1 - Advertência contra os judaizantes
4,2-20 - Exortações e agradecimentos à Comunidade
4,21-23 – Saudações finais

Os 4 encontros do caderno de estudo "Carta do Coração" vão abordar trechos significativos de cada um dos 4 capítulos que compõem a carta com os seguintes temas:

1º Encontro: Comunidades acolhedoras, agradecidas e de testemunho
Texto: Fl 1,3-11 e 4,10-23

2º Encontro: Comunidades humildes, despojadas e de forte compromisso.
Texto: Fl 2,5-11

3º Encontro: Comunidades discípulas-missionárias
Texto: Fl 2,12-24

4º Encontro. Comunidades alegres e apaixonadas por Cristo Jesus
Texto: Fl 3,7-21

No final há uma linda celebração: Alegrai-vos sempre no Senhor! É toda essa alegria que desejamos a você que vai se reunir para conhecer um pouco mais da vida, do ardor e da “garra” contagiante do grande Apóstolo Paulo. Ele foi incansável discípulo missionário de Cristo e das Comunidades que ele fundou, acompanhou e se dirigiu a elas em cartas como esta, escrita com o coração!

[1] Cf. J. Comblin: A composição sociológica da comunidade de Filipos, in: Sociologia das Comunidades Paulinas. Estudos Bíblicos 25, Vozes, Petrópolis.1990. pp.34-35[2] Cf. Introdução à Filipenses, in Novo Testamento, Tradução Oficial da CNBB, Paulinas – Loyola, 1997, p.360.
Fonte: http://www.paulinas.org.br/sab/mes-biblia.aspx

Um comentário:

Adélia disse...

obrigada Ir. Patricia pelo histórico muito bem feito dos temas referentes ao mês da Biblia e tb pela sintese da carta do coração.
Parabéns!!!
boa continuidade

Boas vindas!

Você é o visitante!