Páginas

quarta-feira, 25 de março de 2009

Simpósio sobre São Paulo Apóstolo - Primeiro dia





O Simpósio acontece na Faculdade PAULUS de Tecnologia e Comunicação (FAPCOM), na Vila Mariana, em São Paulo. No primeiro dia, 24 de março, as palestras foram transmitidas, ao vivo, pelo site http://www.paulinos.org.br/






O provincial dos padres e irmãos paulinos, padre Valdecir Antonio Conte, fez a saudação aos participantes do Simpósio.
Luz na missão
O superior provincial falou da Família Paulina e de Paulo, da sua vida itinerante do Apóstolo, do bilhete à carta. Para se comunicar com as grandes cidades, Paulo usou os meios que tinha: as cartas, o areópago. Paulo falou de Cristo Jesus. Não falou de si, falou de Jesus Cristo.
O Simpósio quer ser luz na difícil missão de evangelizar a cidade.

O cardeal Odilo Pedro Scherer falou da importância de Paulo na evangelizacão da grande cidade.
Ser Igreja na cidade
"Temos que aprender a ser Igreja na cidade." Do ambiente da cidade grande a Igreja tem muito que aprender. "O mundo urbano não pode crescer por fora da Igreja e da evangelização." É preciso começar a divulgar, por exemplo, os horários das celebrações. "É preciso partir para as praças. Como fazia Paulo em Éfeso, Atenas, Corinto, Roma. Paulo teve a ousadia de anunciar ali o Evangelho de Cristo."

Paulo anuncia a partir de uma experiência
O Apóstolo não é alguém que faz marketing, Paulo fez uma experiência, a experiência do encontro com Jesus Cristo, a experiência de Damasco que reorientou sua vida. Encontro que lhe deu energias para anunciar Jesus Cristo. Paulo tem uma mensagem que dá força.

Aprender de Paulo
Mais do que aprender métodos, estratégias, temos que aprender isto: como fez Paulo, sem medos de pedradas, prisão, naufrágios, tribunais, propor ao mundo de hoje a certeza que vem da experiência profunda do encontro com Jesus Cristo.
Augúrios do cardeal
Que seja este Simpósio oportunidade para descobrir Paulo, discípulo e missionário de Jesus Cristo para a grande cidade.



Falou também o padre José Ademar, membro do Centro Bíblico Verbo, sobre Estratégia e metodologia pastoral de Paulo nas grandes cidades de seu tempo: inspiração para a evangelização hoje.

Compreender Paulo e sua missão nas grandes cidades
É preciso entender Paulo nas grandes cidades, na Ásia Menor, onde as cidades eram essencialmente comerciais, portuárias. Muita gente passava por ali, havia muito sincretismo e tudo isto são valores para Paulo. Um judeu que fala grego, Paulo se abre a outras culturas. Fazer a Igreja se abrir a outras culturas.

O método de evangelizar de Paulo
No início de seu trabalho parece que Paulo quer ser filósofo. Chega em Atenas e vai à sinagoga, depois à ágora para ver as novidades. Prepara seu discurso. Começa argumentando muito bem. Faz referência ao “Deus desconhecido”, à Ressurreição. Mas, acaba sendo mal recebido. Então, em Corinto, muda o foco de sua pregação e fala da cruz de Cristo. Então, começa a entrar nas casas. O cristianismo primitivo está nas casas. Passa pelo afetivo.

O que aplicar hoje do método de Paulo
Hoje, resgatar a casa é fundamental para a missão. Paulo resgata o leigo. Paulo é um leigo. E tem sua equipe de leigos. Inclusive, muitas mulheres são colaboradoras na missão. Nas suas cartas faz saudações a muitos: Timóteo, Lúcio, Jasão, Sosipatro, Hermas, Andronico e Júnia, Nereu e sua irmã Olimpas, Trifena, Trifosa, Pérside, Urbano, Apeles, Aristóbulo, Tércio, o secretário. (Cf Rm 16). Paulo conhece a todos pelo nome.

Mística
A mística e a espiritualidade de Paulo são identificadas com Jesus. Espiritualidade do martírio.

Paulo tem um Projeto
O Projeto de Paulo é o de Jesus. Este Projeto era claro para Paulo.

Ir. Joana T. Puntel, paulina, falou de Paulo e a comunicação do Evangelho em seu tempo e na cultura da comunicação atual
Irmã Joana disse que a comunicação não é um fato puramente externo. É um fato que acontece no interior da pessoa e se exterioriza.

Comunicação interna
Em Paulo a comunicação interna foi o facho de luz para a missão A comunicação interna que se tornou facho de luz para a missão de Paulo tem identidade cristocêntrica: “Até que Cristo se forme em vós” .Paulo viveu do Espírito e enxergava com a luz do Espírito. O evangelizador não pode apenas ver; é preciso enxergar.

Comunicação como ato externo
Abrir fronteiras para o Evangelho supõe enxergar os modos de percepção da fé que o contexto, a ambiência do momento atual oferece.
Paulo não somente viu, mas enxergou a realidade de seu tempo. E se preocupou em como comunicar o Evangelho naquele contexto.

Paulo fundou comunidades cristãs
Para continuar se comunicando com as diversas comunidades escreveu cartas.Paulo percebeu suas necessidades, “enxergou o que se passava nos grandes centros (a metrópole). O Apóstolo usa as estratégias adequadas, organiza as atividades apostólicas.

E hoje?
Hoje vivemos numa encruzilhada perante os desafios da cultura midiática. A comunicação é elemento articulador de muitas janelas: gameboys, tamagochis, bips, celulares, televisão digital, computadores, palmtops e outros. É a cultura digital, forjando o ciberespaço, o novo ambiente onde se encontram as culturas. Ali se encontram também um “novo sujeito” e novas relações. Esta nova cultura, no novo Areópago da comunicação se tornou muito mais complexa do que no tempo de Paulo.
Concluindo, Ir. Joana apontou para Paulo como o grande inspirador para a missão, hoje.

Participação da assembléia
Seguiram-se perguntas

1. Como está a Igreja cristã nas cidades percorridas e missionadas por Paulo?
Pe. José disse que há pouca presença de cristãos. No Egito, há Igrejas ortodoxas.
Dom Odilo comentou que onde Paulo mais trabalhou, na Ásia Menor (Turquia) a maioria das pessoas são muçulmanas. Na Grécia, a maioria é da Igreja Ortodoxa. Roma tem maioria católica. O movimento iniciado por Paulo continua pelo mundo. A Igreja de Icônio tem quatro pessoas da Igreja católica. No norte da África se dá o mesmo. Daí a necessidade de uma nova evangelização.

2. Paulo escreve às Igrejas. O que é a Igreja para Paulo?
Pe. José respondeu que não era uma assembléia grande, com muita gente. Era uma comunidade, que se reunia nas casas. No máximo, cem pessoas.

3. Cada vez mais se tem meios e técnicas de comunicação e menos comunicação. Cada vez mais as pessoas têm menos tempo. Como aliar a comunicação com o ser pessoa, pastor?
Dom Odilo afirmou que a pastoral não será subtituída por meios. A ação pastoral precisa de relacionamento, precisa de contato pessoal com pessoas concretas: a família, os doentes... "Não transferimos o testemunho da fé aos meios", concluiu.




















































O evento continua hoje,na Faculdade PAULUS de Tecnologia e Comunicação (FAPCOM), na Vila Mariana, em São Paulo, com a seguinte programação:
25/03/2009 (quarta-feira)
das 19h30 às 20h20
PALESTRA: Paulo e a desigualdade nos centros urbanos

10 minutos para perguntas.
PALESTRANTE: Paulo Augusto de Souza Nogueira
Doutor em Teologia, professor titular de pós-graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo. Além de docente, é pesquisador nas áreas de Teologia e Ciências da Religião, com ênfase em judaísmo antigo, história social e literatura do cristianismo primitivo e crenças apocalípticas.
das 20h30 às 21h20
PALESTRA: Paulo, liberdade, diversidade e ecumenismo na cultura pluralista de seu tempo e de hoje
10 minutos para perguntas.

PALESTRANTE: Pedro Lima Vasconcellos
Bacharel em Teologia, mestre em Ciências da Religião e doutor em Ciências Sociais. É professor assistente e doutor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e de outros Institutos de Teologia do Estado. Tem experiência na área de Teologia, com ênfase em Novo Testamento.

Um comentário:

Fabíola disse...

Querida ir. Patrícia,
Parabéns pela intensa "cobertura" do Simpósio Paulino.
Agradece, Fabíola (noviça)

Boas vindas!

Você é o visitante!